Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome. Clarice Lispector

(Source: voguewater, via heelsnboys)

153382 notes / 9 months ago / Reblog this!
"O que era magia virou mágoa."
4017 notes / 9 months ago / Reblog this!
"Eu quero você. Com marra, com birra, com ciúmes. Eu quero você de verdade. Com chatice, com beijo na boca, com mordida, com abraços. Eu quero você, cara. Com tudo que eu tenho direito de receber. Quero você quando estiver com raiva, ou quando estiver totalmente brava. Quero você na minha cama, de preferencia, comigo. Eu quero você de qualquer jeito. Te quero de qualquer jeito. E aí, tem jeito de eu conseguir ter você? "
24791 notes / 9 months ago / Reblog this!
"Ei você que ama,
me diz uma coisa…
O amor encanta,
ou engana?"

991 notes / 9 months ago / Reblog this!
"(…) Eu precisava de alguém para estar ao meu lado quando ninguém pudesse estar. Alguém que olhasse e realmente me visse. Alguém sem cantos escuros, lugares distantes, alma vazia. Eu precisava de alguém sem pressa pra levantar, alguém que gostasse de sorrir, que brigasse e perdoasse sem precisar fingir. Alguém para andar na chuva, correr descalço… Alguém para dividir as moedas, usar o mesmo casaco. Alguém para esperar, para sentar do outro lado da mesa, para bagunçar a gaveta. Eu precisava de alguém que precisasse de mim, que criasse metáforas com os meus olhos, que dissesse que adora me ver sorrir. Alguém que abaixasse os olhos com qualquer elogio, que me emudecesse com qualquer prece. Eu precisava de alguém que aceitasse minha mão, meu abraço, alguém que precisasse chegar logo onde eu estou, que se incomodasse com a minha demora. Eu precisava de alguém que mesmo sabendo quem eu sou, aprendesse a buscar todo dia um jeito novo de se doar. Alguém que transforma tristeza em beleza, que decora a vida com momentos inesquecíveis. Eu precisava de alguém que vale a pena precisar."
18072 notes / 9 months ago / Reblog this!
"E as discussões se sucediam, sem pé nem cabeça. Mas ciúmes são cegos como o próprio amor. São sentimentos mesquinhos, minuciosos, não esquecem a insignificância dos mínimos segundos. As batidas do coração jamais deveriam se escravizar aos tiquetaques desencontrados de dois relógios diferentes. A verdade, porém, é que eram ambos loucos, um pelo outro, e seus corações acabavam por se entender, num ritmo comum de compreensão. E as hostilidades descansavam invariavelmente em beijinhos e mil perdões."
3156 notes / 9 months ago / Reblog this!

(via pourc)

229204 notes / 9 months ago / Reblog this!
Página 8 de 1675 « 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 »